3 de outubro de 2009

posts em rascunho: 26/04/2009

do humor negro

Quando o gato foi atropelado em frente a casa e se arrastou e morreu no passeio, ficou lá a mancha de sangue. Os trajectos desenhados na estrada. O do carro que seguiu caminho e o do gato que ficou a uns metros. Tanto sangue. Escondi o corpo e decidi contar à minha mãe só na manhã seguinte. Madruguei, para garantir que ela não veria a estrada naquele estado. Aproximei-me dela, segurei-lhe os dois braços e disse, sem conseguir parar de chorar:
"Aconteceu uma coisa."

Depois peguei num balde com água, numa vassoura e no Blanka Oxi Action e fui lavar a estrada. E enquanto me desviava dum carro que passava e via a espuma vermelha a descer a rua, disse para mim mesma:

Isto sim dava um anúncio. Este detergente é mesmo bom.

3 comentários:

Alecrim disse...

Compreendo tão bem esse tipo de humor, que nos assalta nos limites da dor!...

Li* disse...

:(

LU disse...

Eu pensei que isso iria acabar com a frase em itálico enfatizando a beleza da mancha na estrada,tipo "american beauty" (uma cena do filme)e seria previsível.
Adoro, apesar de negro: é humor.