23 de outubro de 2009

lisboa

Uma semana em Lisboa. Adoro tudo. Tudo. O trânsito caótico, a poluição, as multidões, o ritmo acelerado que me embala. Adoro a inércia do rebanho. Lá vou eu sem pressa no meio das pessoas que correm loucas.

Estou sensível a tudo. Estou em carne viva. Até do metro eu gosto. Das pessoas todas. A porcaria da gripe A é um mito. Não querem que a gente se toque. Querem que sintamos muito, muito medo. A maior infecção de todas é a indiferença.
No metro até as pessoas todas apertadas me agradam. Uma vez fui apalpada no metro e detestei. Mas foi ao final do dia e já estava exausta e as pessoas já cheiravam mal. Às oito da manhã as pessoas cheiram bem. Hoje éramos tantos. A minha mão e outras seis ou sete mãos agarradas ao varão no meio da carruagem. Sou mais alta que a maioria das pessoas. O meu pulso colado à cara dum homem que ouvia uma música ensurdecedora. Ainda bem que pus perfume nos pulsos, pensei. Agora ele ouve música pesada aos altos berros e cheira o meu pulso que cheira mesmo bem. No metro joga-se a um jogo de que todos sabem as regras. Chama-se Quanto-tempo-consigo-ficar-sem-olhar-nos-olhos-da-pessoa-que-tenho-a-três-centímetros-de-mim.

Sinto-me profundamente feliz. Hoje chorei de felicidade. Tudo me parece bem. Até a chuva e as minhas calças encharcadas até à canela.
No metro vou a olhar lá para fora e o lá fora é só tudo preto e o reflexo do que se passa dentro da carruagem. Pelo reflexo há quem quebre as regras do jogo. Eu fixo-me na próxima paragem. Porque quando estamos a chegar a Roma, o reflexo é amoR. E eu não posso perder esse momento da linha verde, no metro de Lisboa.

10 comentários:

Ana Maria Johann disse...

menina... tu estás mesmo à flor da pele!

Heheeeee
Quando estamos assim, costumo dizer que estamos atentas a tudono mundo pelo sétimo sentido da mulher!

Passei pra dizer que estamos de volta! Temos novidades e ainda estaremos com mais a partir dessa próxima semana...
Então, é isso, volto às visitinhas deliciosas de sempre e volto a namorar os blogs amigos, como o seu!

Beijokas mil, fique com Deus e até loguinho!

Anónimo disse...

Olá Natacha,
Seja Bem vinda a Lisboa,Espero que lhe corra tudo bem e que se divirta.
Beijinhos

Paula e Martim

paulo f disse...

Este é um dos post mais felizes que te li, Natacha.
Acredita que me fez bem.
Aproveita!
pf

cube disse...

gostei muito deste teu testemunho. eu adoro o metro, a pressa, a confusão. por aqui, o jogo no "andante" é outro, e eu sinto que ainda não aprendi a jogá-lo...

patrícia disse...

eu sou daquelas que quebra logo as regras do jogo, é mais forte do que eu. por isso sempre q posso levo uma revista para me entreter. ;)

msa estás cá em lisboa ainda?

Marta Mourão disse...

Olha que bela crónica que este texto dava!
Sobre Lisboa e sobre afectos :)

hpinto disse...

Ainda bem que estás assim.
Penso que seja bom sinal :o)

Ontem fui a Lisboa mas fui a correr e não fui fazer a minha "triste figurinha" ao Chiado :o) espero ainda lá conseguir ir em breve!

:o*

Carla Morais disse...

Olha que texto bonito, este! :-)

mimiko disse...

Oh gostava de te ter conhecido! Ainda bem que gostas-te, é uma cidade muito bonita mas sempre a correr...

Li* disse...

minha querida*

não imaginas como me sinto feliz por ti! parece que me tiraste um peso de cima!!
=)

que bom que bom! que bom que estás feliz! que bom que as calças encharcadas até às canelas não te incomodam (deves estar mesmo feliz!!!ihih!)**

quando partilhas uns poucos desses sorrisos e gargalhadas comigo? ;)

xi-apertado
***