12 de abril de 2008

não volto a abrir a porta a estranhos

Em casa sou um animal selvagem. Selvagem. Entre as muitas coisas que faço, canto ópera. Grito esta música. Canto canto e se não cantar, falo. Vivo com um homem calmo, silencioso. Vivemos nisto há anos. Eu lavo a louça aos berros e de vez em quando lembro-me que a dona O se deve rir muito de mim, na cozinha dela que é coladinha à nossa. O Bruno já nem reage, nem estremece. Estou nisto, drrraaaaa a a a a a a a a a a a a a aaaaaaaaaaaa a a a a a a a AAAAAAAAAA A A A A A A A A e toca a campainha.
O Bruno foge e com ele a cantora que há dentro de mim, cheia de jóias e bem penteada e maquilhada. E lá vou abrir a porta, com ar doméstico, de pano da louça na mão.

- Renhonhó renhonhó, tem dois minutos?
- Valha-me a Nossa Senhora, são nove horas da noite!!! - Sim.

E ouço, ouço, enquanto digo palavrões para dentro ao som do Mozart.

- Renhonhó cinco euros por ano.
- Mas isto não era um questionário? - não estou interessada...
- Não?!
- Filha, não me puxes pela língua minha filha, que eu sei que tu sabes que eu sei que ouviste a minha ópera, por isso põe-te a andar daqui se não queres ser corrida a decibéis. - Não... hum.
- Renhonhó renhonhó.

Odeio-os. Odeio-os. Por que me perseguem?! Não volto a abrir-lhes a porta.

6 comentários:

LU disse...

Eu dava uma de louca e continuava a ópera. Com o eco do corredor deve ser espetacular.....hehehe (NUNCA mais eles voltavam)

di disse...

:D é verdade sim! es sinfónica! milhoes de beijos

natA disse...

:D pois... cá por casa é mais os questionários por telefone... agora por norma não se atendem nºs privados, 99% são questionários...

mas a técnica drrraaaaa a a a a a a a a a a a a a aaaaaaaaaaaa a a a a a a a AAAAAAAAAA A A A A A A A A provavelmente funciona... tanto para os da porta como para os do telefone... :D não há como experimentar!

Beijinho

m.r.p disse...

Grrr! Uma vez andava que nem doida a fazer as limpezas semanais da casa, quando tocaram à campaínha para falar do mundo e dos que já desapareceram. Saltou-me a tampa e convidei-as, com educação, para me virem aspirar a casa. Até hoje... aqui não tocaram mais!

hpinto disse...

Faz como eu, finge que não estás - mesmo quando antes de tocarem à campainha se ouvia tanto barulho...
Ou então quando fazem perguntas sobre telefone, internet, tv - ultimamente são os que me chegam á porta - digo sempre já tenho tudo e estou muito satisfeita e não quero mais nada!
A última que me veio bater à porta era Também de telecomunicações e recebeu-me com um sorriso e perguntou "está bem disposta?!" ao que eu respondi "NÃO!!!" :o) As perguntas seguintes foram muito rápidas e muito rapidamente respondidas. Não costumo ser tão bruta mas acho que ela entendeu...

Nocas Verde disse...

Pensa assim:
Não vivemos como vizinhas!!!
Já o mundo tinha acabdo com ópera e fado em desgaradas enquanto a faxina é feita!!