27 de abril de 2008

dos sonhos

Voltei a sonhar com armas. Eu tinha acabado de matar muita gente com uma metralhadora e escondia-me numa barraca no meio do mato. Vinha uma pessoa ao meu encontro, pronta para me matar e eu, aterrorizada e a chorar, disparava primeiro com a metralhadora, depois com uma pistola, mas nada atingia aquela pessoa que entrava na barraca, me olhava nos olhos e me dizia "Tu mataste a minha família.", antes de pegar também numa arma e disparar contra mim. Tudo tão real. Os tiros, o som, o peso das armas nas minhas mãos, a raiva, o choro, a culpa. Tantos tiros disparei contra aquela mulher e foi como se ela fosse um fantasma que as balas atravessavam. Chorei muito e por fim baixei a cabeça para morrer.
Não sei onde vou buscar estas coisas. Sou contra o uso de armas, o que desgosta o meu pai que pratica tiro ao alvo e em todas as vezes que me deixou atirar disse que eu tinha uma grande pontaria. Se eu fosse homem e me chamassem para a tropa, ia dar muito trabalho a quem me tentasse forçar. Preferia, de longe, ser presa. Tendo de ir para uma guerra, preferia morrer.

Talvez por os meus sonhos serem sempre tão estranhos e na maioria das vezes muito violentos, gosto de imaginar que o melhor sonho da minha vida não foi só um sonho. Imagino que entrei em contacto com outra realidade através do meu inconsciente. Quem me dera ter mais sonhos assim... depois daquele fiquei com uma sensação de leveza e paz que durou dias. Fechava os olhos e lembrava-me daquela luz, daquele silêncio e da confiança daqueles animais em mim. Aquela harmonia perfeita entre seres vivos. Foi um verdadeiro sonho, o melhor de sempre, porque imaginar e sonhar são coisas completamente distintas. E hoje eu sinto-me como se um dia tivesse de facto nadado num rio com pelicanos e lontras, num sítio onde não havia pedras perigosas nem vertigens que me impedissem de saltar dum ramo muito alto para a água.

5 comentários:

BrU disse...

Nunca mais deixo cannabis na tua casa.

Fabiana disse...

Ai Natasha, que sonho horrível.
Mas não há de ser nada.
Abrace seus amigos queridos e bichinhos que tudo ficará bem.
Energias positivas!!!!

on satage disse...

vidas passadas...?!

sapatinhos de verniz disse...

Já ouvi falar que existem traumas de vidas passadas (isto para quem acredita, é claro), que se tornam em pesadelos constantes na vida presente!
Nada como uma boa regressão!

Sofia disse...

vou comentar o primeiro comentário: hahahahahahahahahahahahahahahaha