25 de setembro de 2008

ratinhos no jardim


Na casa dos meus pais costumam aparecer ratos. Ou por iniciativa própria, ou pela boca dum gato. Adoro-os (e novidades?). Adoro os olhinhos, as patinhas que são mãos em miniatura com dedos e unhas perfeitos, o pêlo, tudo. Nos pequeninos pego facilmente (nunca me apareceu uma ratazana a precisar de ajuda), vivos ou mortos. Uma vez salvei um ratinho do campo de morrer na brincadeira frenética do gato. Fui com ele na mão até a um sítio seguro, perto de muitas ervas e pedras e longe do olhar de quem me acha maluca.

"Oh pequenino, tão pequenino que ia morrer... aquele estúpido! Mas eu não deixei que tu és tão pequenino, tão querido... os bigodinhos, os olhinhos, o narizinho... inho inho inho. Pronto, vai-te embora livre e feliz. Vai à tua vidinha."

Abri a mão junto ao chão para que ele saltasse quando quisesse. Não o fez sem antes, farto da minha conversa lamechas (quem é que está para me aturar logo após uma quase-morte?), me olhar pelo canto do olho e me dar uma valente dentada na ponta do dedo.
Acabou-se logo o romance.

10 comentários:

nat. disse...

também gosto de ratinhos, e bichinhos e muitos inhos...

O desenho está giro (só para não variar...)

Beijocas!

sarranheira pititi-patata disse...

Olá Natacha,nossa como sempre suas coisa são MESMO maravilhosas,eu adoro seu cantinho,bjinhos Irene Sarranheira;)

Mãe da malta disse...

Ai, com essa é que me tramaste...

Mas os desenhos estão lindos, ratinhos desses não me importava de ter em casa.

Van Dog disse...

:)

Alecrim disse...

Eu odeio ratos. Sorry... mas odeio visceralmente. Repugnam-me. Tenho medo. Tudo o que quiseres.

Li*Azevedo disse...

ihih
=)

sapatinhos de verniz disse...

lol
a história é fabulosa... podias começar a pensar escrever livros ilustrados sobre a tua vida!
o desenho está fantástico!

Maria Tavares disse...

Olá Natacha,
muito ingrato esse rato. E se vamos falar em figuras tristes eu fiz exactamente a mesma coisa que tu, só que sem a dentada final. No meu blog há um link para um blog de fotografia que se chama Cenas Soltas onde estão o dois protagonistas da história. O gato é o Lucky o rato não se apresentou. Eu acho que se as pessoas olhassem bem para um ratinho iam perceber como eles são fofos e perdiam o medo. Os olhinhos são uma coisa linda.
Estou de acordo com a sapatinhos de verniz, devias mesmo publicar as histórias.

Beijinhos
Maria Tavares

Andreia disse...

Um bom Coração não tem preço...digam o que disserem;)

AnaBond disse...

gaja... eu adorava ratinhos de campo.
mesmo.
ratatoille ou como é que se escreve e tal.

até me entrar um pela casa adentro.
e ver esses olhinhos e bigodinhos e orelhinhas, que fofinhos e tal, no meio da cesta da lenha até era giro... até pensar que aquela coisa podia entrar-me pelos lençóis adentro e subir-me pelas pernas...
argh que me estou a arrepiar.

pior mesmo é a quantidade de mijadelas que o cabrão me deixou na garagem. isso e o resto. não imaginas.

o pior pior pior mesmo... é que eles transmitem doenças e não é pouco.
sorry. o encanto que tinha por ratinhos do campo desvaneceu-se muito mais rapidamente que uma dentada num dedo :P

por isso mesmo, agora ratinhos só mesmo em desenho animado (e em desenhos lindos como este, por uma miúda bem gira que tive o privilégio de conhecer mas que é doida todos os dias)...