13 de novembro de 2007

bicho estranho, o Homem

Lembro-me de há uns dez anos ver uma reportagem sobre isto. Hoje ainda se pratica. E há uma petição a correr.
Não sei bem que mais dizer. Vi o vídeo mas sem som. Já assinei.

5 comentários:

Alice disse...

bicho estranho é a Mulher.

Não são homens que praticam a mutilação genital feminina. São mulheres que o fazem a outras mulheres, ou melhor crianças.
E fazem-no simplesmente por vingança, porque um dia o fizeram a elas.

Esta é uma das provas que mostram que, se as mulheres não governam o mundo, é por falta de união.
Embora este tema desse sumo para desenvolver uma grande tese, a verdade que não queremos ver, é que as próprias mulheres são as únicas culpadas pelos abusos e opressão ao sexo feminino.

Quisessemos que tudo fosse diferente, e era mesmo, não tenho dúvida.

Tereclopes disse...

Assunto muito complexo este...
Pelas reportagens que tenho visto e pelo que tenho lido sobre o assunto, penso que não se trata só de vingança, mas sim por costumes e mentalidades enraizadas ao longo de gerações, muitas delas de origem religiosa. Não sei o que dizer mais, mexe demais comigo o que tenho visto é simplesmante horroroso...

hpinto disse...

Nem vejo o vídeo... hoje 'tou tão neura que nem arrisco...
Mas já fiz o mínimo dos mínimos que posso fazer... assinei a petição :o*

sapatinhos de verniz disse...

Depois de assinar a petição, ponderei se a minha assinatura, juntamente como muitas outras, faria de facto alguma diferença!
Sei que "querer é poder", mas sinceramente, não acho que seja com assinaturas que mudaremos alguma coisa! Muito menos quando se trata de questões culturais, que por mais desumanas que sejam, vêem-se repetir, geração após geração!
Nunca sentiste que as pessoas, independentemente da sua nacionalidade, estão demasiado passivas?! Eu sinto-me assim, e quero passar aos actos e deixar de manifestações, marchas ou assinaturas...!
Quero agir para um mundo melhor! E acho que a melhor forma de o conseguir não é revoltando-me mas mostrando que a forma como vivo e como ajo resulta!
De que adianta fazer manifestações contra a fome em África, se depois cá em Portugal, bem ao lado das nossas casas, vemos alguém a passar frio e fome e somos incapazes de fazer algo!
Desculpa o testamento Natacha, mas ultimamente tenho-me sentido tão inútil por ver tantas atrocidades e sentir que pouco posso fazer, que decidi começar por fazer pouco, mas a valer!
Cá em casa decidimos começar a andar com pacotes de bolachas, fruta e garrafinhas de água na mochila, para caso surja alguém a pedir na rua, termos algo com que ajudar!
Havia tanto para falar acerca destas coisas, mas se eu continuasse, não conseguia sair daqui tão cedo!
Desculpa mais uma vez!

sucast disse...

nem consegui ver ...