21 de agosto de 2008

vi-a

Vi-a. O sangue ferveu-me nas veias. Não há pessoa que eu odeie mais na vida do que ela. Sim, eu que se não fosse gente seria um pequeno pónei e que me comovo a observar plantas e insectos. É um ódio tão grande que gosto de me imaginar a atropelá-la. O meu sonho é pôr-me a dois palminhos dela, olhá-la nos olhos e dizer "Odeio-te. Cabra do monte. Odeio-te!" - aposto que o ódio até me passava. E de seguida era presa.

1 comentário:

Li*Azevedo disse...

boa nat
=)

estamos ctg!!!