31 de agosto de 2008

de olhos no chão e sem máquina na mão

A minha máquina fotográfica morreu mesmo. Que falta me faz. Sem ela vejo o meu manifesto anti-beatas-no-chão a meio gás. Mas não é grave. Pus-me a pesquisar e encontrei pessoas cujas máquinas não avariaram. E mais, pessoas que pensam como eu, têm ideias muitíssimo mais originais, expressam a sua opinião e, ao que vejo, não são agredidas. Eis:

Beatas no chão à porta dum bar de Toronto.

Um carro de beatas.

Um senhor que decidiu catar lixo e (não pode!!!) encontrou mais beatas que outra coisa.

Beatas.

Beatas gigantescas.

O "beatão"!

Se alguém desse lado se deixou contagiar pela minha paranóia, quiser fotografar o que eu não posso e enviar-me por email para eu publicar aqui, fico muito agradecida.

4 comentários:

alice disse...

Eu deixo uma dica para dares aos teus leitores fumadores:

Se pegar nas suas beatas da semana inteira e fizer um chá com elas, estará a produzir um chá de nicotina que é um insecticida biológico poderoso.
Como vê, se fumar, pode matar-se a si enquanto cultiva legumes isentos de químicos.

Anónimo disse...

Nat, gostei da selecção. Achei interessante o comentário à foto daquele senhor que decidiu catar as beatas que encontrava. O autor do comentário considera as beatas "tão lixo" como fraldas, garrafas de plástico ou tampões. Curioso, não é?

Beijo.
Sandra, V.C.

Marta Mourão disse...

Boa iniciativa!

on satage disse...

o sr que decidiu catar lixo, também tem um cigarro na boca
lol