29 de março de 2008

enfermeira, é favor vir cá a cima que precisamos de si

Faltas-me, Di. A saudade é um sentimento tão egoísta.
No outro dia escrevi-te esta mensagem: "Estou a ir com o meu pai a Cerveira. Trago-te no coração." - e comecei a chorar mas parei quando vi que a mensagem não tinha sido enviada por falta de saldo. Ainda bem.
Comprei tinta para o cabelo e vou pintá-lo sozinha.
Despejei toda a minha roupa para cima da cama. E eu não sei fazer triagem sem ti a chamar-me nomes, de saco na mão.
Ninguém se ri das minhas idiotices, Di...
Choro feita estúpida. Falta tão pouco. Se entretanto entrares no msn não precisarei de publicar isto. Já sei que choras também... E aquela outra estúpida também vai chorar quando ler (pensando bem, é bem capaz de se rir), aqui em casa, que na casa dela ainda não há net. Onde estará a gaja? Vou averiguar.
Amo-te *

4 comentários:

Alecrim disse...

A tua mana é tão querida como tu. Eu sempre quis ter uma irmã... mas aos 18 anos conheci duas primas que foram (são) quase minhas irmãs. Alentejanas. Tenho tantas saudades delas, mas é uma saudade que não dói...
Beijos para vocês.
E pára de chorar. Não há longe nem distância. :)

di disse...

Amor da minha vida!!!!!!!!!!!!!

Esta quase:) um abracinho como so me sabe o teu:)

Cilu disse...

Mis tontis, claro q me ri... :)
Sou ovelha negra por isso?

Vos amo e o meu coração salta!

Quero Urgentemente um Jantar de manocas no sítio do costume e dps morrinhar juntas em casa a falar, sem net nem caneta ou lápis na mão (esta é para ti Nat), é o teu fantástico trab., mas só um diasinho.

Li*Azevedo disse...

=)