1 de dezembro de 2007

o meu Porto

Vivi na rua Coelho Neto. Depois na de Santo Ildefonso. Fui vizinha de casas de albergue, de muitos bêbedos e de barulhos estranhos. De taxistas porta fora de ferro na mão... Vivi em ruas mal frequentadas. Fui tão feliz. Ia a uma mercearia tradicionalíssima onde me acarinhavam, o dono e a dona, em que me cortavam o alho-francês e me impingiam a coelha de estimação que "coitadinha fica tanto tempo sozinha e consigo, menina, ficava melhor". Nessa mercearia encontrava muitas vezes as minhas vizinhas transexuais, que mesmo com mais de 40 anos, ainda pareciam homens gordos de peruca, ainda tinham voz grossa e eram uns amores sempre na conversa. A típica mercearia da baixa, o dono de bigode, a dona baixinha baixinha, os transexuais e a estudante de Belas Artes. Que saudades.

6 comentários:

Lou* disse...

Que flash back!
Também vivi nessa rua durante dois anos. Mas um bocadinho mais abaixo, por cima de uma relojoaria na zona pedestre.
Também morro saudades desses tempos. Das mercearias. Dos café cheios de bolos. Dos lojistas sempre a controlar as entradas e saidas dos moradores.. também fui muito feliz nessas ruas estreitas e cheias de gente. Gente verdadeira.

Talvez isto fique por ver disse...

Não vem a propósito, mas sim, chegou, chegou bem aconchegadinho e é lindo!!! Foi logo açambarcado e mora agora numa bolsa de senhora, essa espécie de supermercado portátil que Vc. bem deve conhecer.
E já agora, ela disse-me, o saco da sua mãe também é lindíssimo.
Ah!, e o meu foi-me bem útil anteontem, em Coimbra, onde fez um "sainete".

Desculpe só agora dizer, mas andei entupido de trabalho, Natacha.
Beijinho!
pf

APO (Bem-Trapilho) disse...

é! há sitios onde vivemos partes da nossa vida que nos marcam mais que outros que inexplicavelmente se apagam da nossa memoria! no meu caso foi a Ajuda (Lisboa) que em marcou de sobremaneira! tenho que ver se faço um o post sobre a Ajuda! ;-)
adorei as tuas memórias!

Marta Mourão disse...

Eu também tenho muitas saudades!!

sara aires disse...

Eu estava também por ali... na "Visconde de Bóbeda". Na altura não gostava, não fui feliz no Porto. Mas hoje olho para trás e sei que não vejo só fachadas sujas quando passo em San Lázaro... sei o cheiro daquelas casas, ouço as ladaínhas daquelas velhas, os "fuo**-se" dos gunas" e esqueço as cenas de porrada à porta da "Rainha de S. Lázaro". Não é o lugar do meu coração, mas tem o seu encanto, a cidade Invicta venceu-me.

sapatinhos de verniz disse...

E o Porto receber-te-á sempre de braços abertos!
Abraço e boa semana!