25 de maio de 2008

estreia a etiqueta desabafos:

Quando eu era pequena, o pão caído ao chão no meio das correrias desinfectava-se com um beijinho e ficava pronto a comer novamente. Eu cresci na rua. Roubei fruta aos vizinhos e comi-a sem lavar. Andei descalça na estrada e no passeio. Mastiguei ervas e flores. Deitei-me no chão. A cara no chão, o cabelo no chão. Dei beijos aos cães. E não morri disso.

14 comentários:

indiasun disse...

Também fui assim.A brincar com a terra,cimento, e coisas que se encontravam no chão,a mastigar daquelas flores ácidas que se encontram em sítios onde os cães também passeiam,a andar descalça,sentar e deitar-me pelo chão.E fui feliz :)
P.S - Fazia o mesmo com o pão.E lembro-me de uma amiga uma vez ter inventado que tinhamos de baptizar o pão antes de o comer..Lá ia o pão para debaixo da torneira...

sapatinhos de verniz disse...

Ai se a ASAE te apanha...
;))

Alecrim disse...

Eu ainda hoje faço algumas dessas coisas...

Sofia disse...

Continuo a desinfectar a comida que cai ao chão, não com um beijinho, mas com um sopro :)
Ainda como fruta muitas vezes sem ser lavada...
A azedas... ahhhh! comi tantas :)
E a minha prima que levava para casa da minha avó todos dos cães que encontrava na rua, mesmo os doentes e nós faziamos-lhes muitas festas e davamos beijinhos, para horror da minha mãe...
Que boas recordações!!!

andie disse...

Ai que saudades!
Os miúdos agora crescem assim num ambiente assépticozinho, lavam as mãos com antibacterianos xpto, bebem actimels para ficarem imunes a não sei o quê, vacinam-se a tudo e mais alguma coisa que se arranje e vão crescendo assim, lavadinhos e desinfectadinhos...depois vamos ver os efeitos mais tarde, a nível da saúde, vão ser uns fraquinhos!
Jinhos!

AnaBond disse...

ainda faço algumas dessas coisas.

mas uma mãe que se preze tenta que os seus filhos não o façam. assim como a minha mãe tentava ;)

sapatinhos de verniz disse...

Também tenho saudades da liberdade que a minha infância me dava!
Pobres das crianças de hoje, que não podem ir brincar para a rua, correndo o risco de serem raptadas! A quem aliciam com brinquedos digitais e não deixam respirar os cheiros da natureza! Que não criam defesas próprias porque são tratadas como cobaias, e impedidas de cometer a mínima asneirinha, porque este "mundo está cada vez mais perigoso"...
Pobre infância destas pequenas crianças...

Felizmente elas estão aqui para mudar tudo!
As queridas crianças índigo, que vieram para "salvar" o planeta!!!

Célia Jordão Alves disse...

Eu tenho uma experiência idêntica à tua e concordo contigo. Confesso que fico sempre dividida sobre q conselhos dar ao meu filho a esse respeito.

Uma amiga minha fez uma experiência numa aula de Biologia que mostrava que um algodão (ou pedaço de pão? já não sei...)molhado em saliva produzia muito mais bactérias ao fim de certo tempo que outro molhado que tivesse caído no chão. :-)

Li*Azevedo disse...

já somos duas ;)

domino disse...

Eu também e estou vivinha, ainda faço algumas dessas coisas ih ih ih...

natA disse...

eu tb era assim, e ainda sou um pouco...
Custa-me ver as crianças em "redomas de vidro" com medo de tudo...

Numa coisa concordo com o reclame do Skip... As crianças têm que ser crianças... como eu gostava de brincar na terra!

Beijinho

Sofia Quintela disse...

uiii, também eu, amoras tiradas directamente das silvas, morangos tirados da terra (nos quintais dos vizinhos lol) esfarrapava-me toda a andar nos carrinhos de rolamentos que construia com os rapazes lol, subia muros e fazia equilibrismos por cima de poços (fundos) de água... uma doideira, mas uma infancia muito bem passada longe destas tecnologias e cuidados extremos de hoje em dia.
há dias lembrei-me precisamente disso, as auxiliares da escola onde eu trabalho fizeram greve e nós professoras não pudemos ficar com os meninos, a confusão qu foi para avisar por telefone todos os pais de meninos que vão sozinhos para a escola. Na minha altura ia sozinha para a escola com os meus colegas, e quando a professora faltava não eramos distribuidos pelas outras salas como acontece hoj em dia e nem entravamos na escola voltavamos para trás para casa... hoje está tudo tão diferente...

Joaniska disse...

Tambem eu!
Subia as arvores, corria, caia no chao, chegava a casa desinfectava e voltava para a rua, e esqueciase a dor!
Agora tudo mudou...as crianças mudaram...e ate a ASAE vai para os santos populares...

morfose disse...

E a comer amarguinhas.
Aquelas flores amarelas que as mães agora dizem aos filhotes para não chuparem porque podem ter chichi de cão?
LOL