8 de setembro de 2009

não é que algum dia me vá esquecer disto

Mas tenho-o sentido e dito tantas vezes, que quero escrevê-lo também.
Eu conheço pessoas genuinamente boas. Pessoas maravilhosas. Não uma nem duas, várias. Tenho a felicidade - o privilégio - de as conhecer de perto, de poder passar minutos, horas com elas. De as olhar nos olhos, de as ouvir. Mesmo que se passem semanas de distância. Meses. Quando as vejo é isto. Eu não conheço. Eu tenho pessoas na minha vida que tornam tudo melhor e mais fácil, até as dores.
Como se isso não bastasse, e como se confiar-lhes o que tenho de melhor e de pior não fosse bom o suficiente, eu ainda sinto que elas gostam muito muito muito de mim.

Quando ouvi isto pela primeira vez não tive noção do quão verdadeiro é.

3 comentários:

Tereclopes disse...

Que bom é tê-las, quem as tem pode considerar-se abençoado.
A canção é das mais lindas que já ouvi, e é também das minhas preferidas.
Beijinhos Nat. e as tuas melhoras.

sapatinhos de verniz disse...

Só atraimos para nós pessoas do mesmo índole...
Quem te manda ser assim?
Agora levas com pessoas fixes, amigas e queridas!
Bem feito!!!
;)

Oficinas RANHA disse...

Oh Nat, também tenho umas quantas na minha vida... e por isso, juntando as tuas às minhas às das outras pessoas, sabemos como há esperança para a humanidade. Beijos.
Rita