31 de julho de 2008

gratidão

Hoje no supermercado escorreguei num iogurte derramado no chão. Pensei no pior.
Estou rodeada de enfermeiros. Contam-me dos acidentes estúpidos que atiraram os seus doentes para camas e cadeiras de rodas para nunca mais se levantarem. Alguns são vegetais. Outros são conscientes e perfeitamente lúcidos, encarcerados em corpos atrofiados. Existe um que para comunicar pisca um olho.
Há dias pedi à Di que me levantasse como faz aos tetraplégicos. Quem nos vir juntas ou souber da nossa diferença de trinta quilos, não acredita na facilidade com que ela o fez, enquanto eu me fazia mole e nada cooperante. É isto que estes enfermeiros são. Pessoas que à primeira vista são só pessoas iguais às outras. Faço-lhes perguntas ingénuas. Não fosse o eu pedir pormenores e eles nem se lembrariam de me dizer que sim, mudam fraldas e dão banhos diariamente, a adultos conscientes. Limpam-lhes os recantos mais humilhantes do corpo. Imagino-me numa cama, despida de roupa, de mobilidade e de independência. Para sempre. Graças a um acidente de viação de que não tenha culpa, a uma queda, a um mergulho no mar, a um iogurte no chão.
Estou rodeada de pessoas da minha idade que se abalaram mais de 500 km para longe de casa, família, amigos e namorados para terem o emprego em que se formaram. São anjos da guarda da dignidade alheia. Admiro-os ao ponto de não arranjar palavras.

Hoje fui pintar com um dos doentes da Di. Há uns meses era um adolescente que desenhava muito bem. Há umas horas pedi-lhe que me apertasse a mão se quisesse que eu lá voltasse. Tenho quase a certeza de que apertou.

Sou tão grata pela vida que tenho. Sou tão grata à mãe deste rapaz por me autorizar a ir lá, me receber com sorrisos e nem hesitar em nos deixar fotografar. E por me fazer ter vergonha de pensar que ter excesso de peso, vertigens e péssima visão no olho direito são limitações físicas.

Obrigada.


21 comentários:

Alecrim disse...

Vi estas fotografias no flickr e fiquei à espera de as ver em post. Cá estão.
Cá está um beijo para ti.

Sónia disse...

Um beijinho grande!

Anónimo disse...

Ter saúde é ter mesmo TUDO...
Um beijinho.
Elisabete

AnaBond disse...

é por essas e por outras que dou graças pelo que tenho, mesmo com altos e baixos.

(há dois anos atrás estive nos cuidados intensivos... tive de ser lavada todos os dias, eu não podia levantar-me para ir tomar banho. é constrangedor, é esgotante e deita uma pessoa abaixo... não consigo imaginar o que é ficar assim uma vida inteira... não quero.)

natA disse...

estou arrepiada...

Beijinho grande!

Rita Martins disse...

Nem sei o que dizer. Emocionei-me tanto...

És uma pessoa muito especial.

Beijinhos.

hpinto disse...

Podes crer lindona... e preocupamo-nos nós com verdadeiras merdices...
Beijocas grandes :o***

Nocas Verde disse...

Natacha,

Obrigada a si por nos lembrar dos "Seres Anónimos" que nos vigiam e acariciam.

Artes Mistas disse...

Olá Natacha.
Aqui estou eu novamente a espreitar as tuas obras. Não são só pelas tuas obras de arte, mas também pelas tuas palavras que nos encantas. És mesmo uma pessoa especial. Também penso nisso muitas vezes e, desde o momento em que fui mãe, há coisas que não me saiem da cabeça. Isso é uma delas e admiro bastante as pessoas que conseguem, não sei como, superar estes traumas e lutarem por aprenderem tudo novamente. Outras, infelizmente, não podem fazer isso. Obrigada por partilhares os teus pensamentos e continua assim, um ser humano estrondoso.
Bom fim de semana e tudo de bom.
Jokas grandes Ana

Oficinas RANHA disse...

Beijinhos para ti e para os meus colegas, teus amigos...
Ana Cristina

LU disse...

Obrigada!

andie disse...

Eu também dependi de enfermeiros nas últimas horas...
Não estive completamente incapaz, mas observei-os bastante, e perguntei-me o que os move?
Bem hajam.
E um grande beijinhos para a tua irmã e amigos!
Bjs!

Sentes te Feliz por Viver?? disse...

Sou amiga, colega e companheira de casa da Di...aliás tu até me conheces:) só te queria dizer Obrigada pelo que disses te de nos enfermeiros...ADORO aquilo que faço e por isso gosto que as pessoas dêm valor a isso!!Quanto ao q fizeste com o NOSSo doentinho...não há palavras!! OBRIGADA!! Tou certa que ele ficou muito mais feliz!!

Carla Morais disse...

tu e a Di, realmente, são dois anjos!

Célia Jordão Alves disse...

Ainda ontem comentei com a minha mãe o quanto admiro todas as pessoas que trabalham em saúde e que ajudam os outros nas tarefas mais básicas de higiene, ou que cuidam dos outros com o maior carinho e também sangue frio quando a situação é drástica. Admiro porque acho que não seria capaz de fazê-lo. Ou pelo menos não sinto esse apelo, como muitos sentem. Tudo o que envolve tocar em estranhos me faz confusão. Até mesmo uma cabeleireira a lavar a cabeça a uma pessoa que não conhece. No entanto, não me faz impressão que todos esses profissionais que têm cuidado de mim, felizmente nunca em situações dramáticas, o façam. Agradeço aos céus por toda essa gente de coragem e de bom coração. E agradeço à Vida toda a saúde que eu e os que me são próximos temos.

Votos de melhoras rápidas.

ananda disse...

Que texto tão lindo!
:D
Beijinho grande

Nádia Pinto disse...

Deixei um prémio para si no meu blog :)
Beijinhos e continuação de uma boa semana.
Nádia

Li*Azevedo disse...

=)

cat|inconsciente disse...

Tens um coração tão cheio de pormenores cintilantes... Todos os corações deviam ser como o teu...

Sónia disse...

É difícil ler um post destes... pensar nas coisas que são realmente importantes e não ficar comovida ... e sem palavras!

Temos mesmo de ser gratos pelas nossas pequenas imperfeições, que de tão pequenas nos permitem preocupar com aquilo que nos parece imenso... mas que à luz de situações como esta é tão pouco!

Bom fim de semana para todos!

Faz de Conta disse...

É bem verdade... damos tanta importância ao insignificante, olhamos tanto para o nosso umbigo...

Um bem haja a todos os enfermeiros que diáriamente lutam, acarinham e sofrem... por todos nós...

Bjos :o)
Carla