18 de julho de 2012

foi buscar-nos ao aeroporto

Eu estava sem óculos e já era quase meia noite quando chegámos lá fora. Não consegui vê-la no escuro porque faz praia desde Maio e está mulata, só ouvia os gritos e via um vestidinho azul voar na minha direcção. Depois vi o sorriso e depois já a tinha enrolada nos meus braços, eu gigante e ela tão franzina comparada comigo, quando a abraço parece que se esconde na minha caixa torácica e lá fica guardada. De repente deixou de existir o ano inteiro que passamos sem nos abraçar. A minha irmã.

4 comentários:

Anónimo disse...

Benvinda de novo...a este país!
e por favor continua a dar-nos notícias!
Elsa

sónia disse...

:)) Lindo!!
Bjs

Anónimo disse...

Olá Nat,
Beijinhos :)

Paula,mãe do Martim

di disse...

meu amor minha amada minha irmã***
plim plim***