6 de dezembro de 2011

o que eu gosto de mim

Quando penso nas coisas que já fiz a mim mesma, e que permiti que me fizessem. Quando penso no lugar escuro em que já estive e da força que foi preciso para me reerguer e proteger. Quando penso na falta de esperança. E no optimismo que um dia quase se me sumiu. Tudo aquilo de que precisei para aprender que o primeiro item na minha lista, a coisa mais preciosa que tenho, sou eu mesma. A minha mente, a minha alma, o meu ser. O meu corpo e a minha saúde. Nada se compara à riqueza de simplesmente ser. De decidir livremente e sem medo de julgamentos, o que fazer para ser feliz. Sinto um profundo orgulho do que sou hoje. Todos os dias me esforço por ser gentil e tolerante para todos aqueles com que me cruzo, mas sobretudo e sem hesitação, para comigo mesma.

8 comentários:

Isabel disse...

Que saudades!!! Fico feliz por saber que estás bem! Tenho saudades de te ler mas o melhor é que estejas em paz, feliz. É bom!

Sofia B. disse...

Oh Nat, que saudades de te ler!!
Espero que esteja tudo bem contigo :)
Beijos enormes

pontos disse...

Bem, nem sei que diga...
Em primeiro lugar, ainda bem que estás bem contigo mesma, sei bem quanto isso é difícil de conseguir. Segundo, nem sabes quanto me revejo nas tuas palavras... Fazemos coisas tão parvas a nós mesmas...
O que interessa é olhar para a frente e não esquecer nunca estas pequenas grandes lições, portanto, vamos embora! :)
Beijocas e tudo de bom,

Tânia

P.S. O "teu" quarto continua a ser estimado como no início, agora com a rapariga no ballet, a hipopótama é a estrela maior! :p

Anónimo disse...

Olá,
Que saudades.Não deixe de ir dando noticias.Sentimos a sua falta.
Beijinhos

Paula,mãe do Martim

Oficinas RANHA disse...

Beijinhos da Ana Cristina

Analog Girl disse...

É muito bom ler-te assim. E seria melhor se pudesses voltar como antigamente, tenho saudades de te ler.
Que tudo continue a correr bem por aí.
:)

sara aires disse...

São tudo trilhos de um só caminho... às vezes perdemos o Norte, mas parece-me que tu o reencontraste, e nós aqui todas contentes a ler-te! :)

Boas Festas!

maresias encantadas disse...

Sem dúvida aquilo que é mais importante proteger, sempre, é a nossa sanidade mental! O raciocínio lógico é o que temos de mais importante. É ele que nos ajuda durante os tumultos emocionais a que somos sujeitos e é ele que nos ajuda quando socialmente, política e profissionalmente nos sentimos farrapos. Sim, é muito importante protegermos a nossa mente, mais que tudo. ;-))