1 de dezembro de 2010

o senhor cego do metro

Todos os dias, por volta das 8h da manha, ele entra na mesma estacao de metro que eu. Vejo-o todos os dias. Ouco-o todos os dias com a mesma ladainha. Olho para a janela e vejo o reflexo dele a passar entre as pessoas. Leva uma mochila as costas e parece-me um menino. Como e' que uma pessoa cega escolhe a roupa? Sera que ele sabe - que alguem lhe disse - de que cor e' a mochila dele?
O senhor cego da linha verde pede, sem parar. Troca de carruagem. Continua. Faca chuva ou sol, la esta ele. No metro vazio dos feriados ou 'a pinha, em hora de ponta. Nao tem uma mao e e' com esse mesmo braco que ele segura o copinho das esmolas. Uma vez observei como as pessoas se afastam dele na plataforma, mesmo as que estao sentadas e em quem ele inevitavelmente tocaria com a bengala (um cabo de vassoura) ao passar. Levantam-se, ele passa pelo banco vazio, e voltam a sentar-se. Parece um jogo. A cabra cega mais cruel de sempre, em que o cego nunca desvendara' os olhos e, ao passar por tanta gente que se desvia, parece estar sozinho na estacao do Martim Moniz.

Ouco-o a repetir "O deficiente agradece a quem possa auxiliar..." e so penso meu deus, se me cansa tanto ouvi-lo durante um minuto (e sinto que o meu cerebro mirra nesse interminavel minuto em que ele percorre a carruagem) imagino o que e' dize-lo e ouvi-lo o dia todo. Como e' que ele nao desiste? Como e' que ele esta la todos os dias? Sera que houve um dia em que se meteu na cama a comer, como eu faco? E eu tenho as duas maos e os dois olhos. Escolho a minha roupa na loja, no armario. Escolho o meu lugar no metro. Mas nao tenho a forca de vontade que ele tem, a concentracao e o empenho em alcancar um objectivo a que me proponha.

Ja ha mais de uma semana que nao faco um desenho. Sinto-me culpada por isso. E ainda mais por, em vez de desenhar, me apetecer meter na cama a comer.

7 comentários:

Anis disse...

Tenho saudades dos teus desenhos, por favor mete-te na cama a comer, mas com um bloquinho e uma caneta bic também tá? Beijinhos

Vanessa Casais disse...

Sabes, gosto muito deste teu blogue, porque és muito autêntica. Pensas e falas com a meiguice e o deslumbramento de uma criança mas também com muita verdade nas coisas boas e más que sentes. Ao ler-te, pude vê-lo como o vês. Quanto ao teu problema é tão simples de resolver ;)

Tereclopes disse...

Vamos lá deixar a preguiça e a gula e toca a desenhar... com desenhos tão maravilhosos não os fazes? ora essa! não tem graça nenhuma...
Vá lá extravasa essa inspiração sem limites, e vamos a isso.
Beijocas

Sofia B. disse...

que se passa Nat??
As pessoas apaixonadas não têm falta de inspiração...

Inês Pinto disse...

Mas que conversa é essa mulher???? Bola pr'a frente que atrás vem gente!! E as magníficas pinturas de parede, os livros lindos, os dipticos fantásticos e afins? hein? ;o)

Mónica disse...

Há uns tempos escrevi no meu blog sobre o sr. Martinho que também é cego. Ele não anda a pedir, apenas atravessa a rua em frente ao sítio onde trabalho, no caminho para o seu passeio diário. Mesmo assim as pessoas desviam-se dele. Raramente vejo alguém que o ajude a atravessar a rua, coisa que ele consegue facilmente excepto nas alturas que alguém estaciona um carro em cima do passeio ou quando há obstáculos deste género. O que nos custa a nós emprestar os nossos olhos por uns minutos a quem não os tem? Ás vezes quando venho espreitar o teu blog fico feliz por saber que ainda existem alguns exemplares dessa espécie em vias de extinção que denominamos de seres humanos.

anocas_pipocas disse...

pois, essa concentração num objectivo.. essa vontade para conseguir algo, também precisava, precisava mesmo..
não me apetece pôr-me na cama e comer,mas só me apetece fazer tudo o que não preciso (talvez o virus do séc. XXI em acção , a preguiça)..