6 de maio de 2010

íamos no metro

Às vezes nem me apercebo do que é ter de lidar com alguém que (sobre)vive da própria criatividade.

Ultimamente eu sinto que ando mergulhada entre elefantes, ratos e molduras. E algo me diz que arrasto para dentro da minha mente-sopa-de-letras aqueles de quem mais gosto.
Íamos no metro e o T. deu-me esta ideia de pôr um elefante no quadrinho de baixo, a fazer qualquer coisa com a tromba no quadrinho de cima.

elefante

Agora estou tão apaixonada por esta ilustração que já só penso em pintá-la numa parede, ou escrever uma história, ou qualquer coisa que leve a outras tantas ilustrações do género. Quero que o meu trabalho seja só isto, porque isto faz-me sentir muito feliz.

O original estará aqui brevemente, e vai custar-me muito largá-lo. O meu professor Paulo Almeida chamava a isso lamber a cria - "Natacha, não lambas a cria...".

7 comentários:

ecila disse...

Adoroooo :-)

draaninhas disse...

Tivesse eu mais disponibilidade e fazíamos um livro: eu escrevia a história e tu ilustravas! Encantadores estes elefantes! Temos que pensar nisso, bjs

Dulce disse...

Tb adoro!

Li* disse...

está tãããããão liiiiiiindo!*

vê o teu mail, vou já fazer uma encomenda!!!

Li* disse...

lindo de morrer!

Daniella disse...

Par serem Fans da Natacha no Facebook, clickem aqui: https://www.facebook.com/pages/Natacha-Santos/124308694249066?v=wall

beijinhos e abraços!

Anónimo disse...

...força Natacha, ninguém lhe poderá roubar a fonte que é interna e muito sua!

Conheço essa sensação de "lamber a cria"! (e infelizmente o que se sente quando nos roubam "a cria"...)

BIA